quarta-feira, 29 de agosto de 2012

A Vera Pereira

A história da Vera Pereira, infelizmente, não me surpreende nem um bocadinho. Surpreende-me sim o sentido pragmático e a honestidade da coisa.
Anúncios de posicoes já predestinadas, há aos milhares.
Já vi muito boa gente a aprimorar-se para e em entrevistas, ali a dar o seu melhor, a ter encargos com transportes e outras coisas que tal, para o entrevistador estar ali a fingir que se interessa e que aponta as suas respostas, só para inglês ver e o IEFP, já agora.
Sem dúvida que deixa de se dar oportunidade a muito boa gente, algumas talvez ate mais qualificadas ou mais capazes (que é o que realmente interessa).
Não é justo, nem moral, mas sinceramente, parece-me um bocadinho menos injusto que fazer perder tempo aos potenciais desempregados que iriam responder àquele anuncio e criar expectativas com o mesmo.

terça-feira, 28 de agosto de 2012

A primeira vez

Este ao vou passar o natal na Irlanda. Se Maomé nao vai á montanha...
Só por causa disso, espero que neve. There's a first.

segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Era uma vez

Rapariga que tinha mau dedo para escolher os seus amores. Aos bons rapazinhos mandava passear, aos que não interessava, fazia o pino, para se fazer notar.
Rapaz de boas famílias, gato-sapato nas mão de outras, interessa-se por tal rapariga.
Mostra-lhe o seu apreço, tenta-a conquistar.
Rapariga não quer. Não a atrai. É simpático, lisonjeador, cavalheiro.
Rapariga acha que lhe falta qualquer coisa. Conversa com amigas, pensa no assunto e diz "chega! Vou gostar de quem gosta de mim e me trata bem". Rapaz gato-sapato transforma-se num dos outros.
O problema não é escolher. É ser escolhida.

sexta-feira, 24 de agosto de 2012

Príncipes e princesas

Esta semana tive muita pena do príncipe Harry. A meu ver, isto de ser príncipe é uma chatice. O rapaz quis jogar bilhar despido, com uma jogadora que também dispensou equipamento para o efeito, mas parece que o rapaz se devia ter preocupado mais com possíveis fotógrafos do que com o taco e as bolas.
Se fosse qualquer outra pessoa, solteira, casada, viúva ou divorciada, ninguém se importaria com os gostos do pequeno. Fossem eles fazer uma orgia a quatro (é o que dizem as revistas, mas eu até agora só vi ali duas pessoas, o princepezinho e uma pequena meia escondida, mas como não fui ver se havia mais fotos por aí, não tenho a certeza se é uma cena a dois ou não), sado-maso ou passear caezinhos á beira-mar, ninguém queria saber.
Bolas, o rapaz é novo, deve ter necessidades, hormonas, desejos e essas tretas todas como qualquer um de nós. Depois, o resto, como se alivia dessas agruras, isso deveria ser lá com ele, mas como é príncipe e saca um montão de impostos aos ingleses, não pode ser fotografado como veio ao mundo, com uma pequena também como veio ao mundo. Nem pode fazer aquilo que os da sua idade andam a fazer e que, ate podia ser bem pior. E eu, acho isso, profundamente triste.

quinta-feira, 23 de agosto de 2012

nãaaaaaaaaaoooooooooooo

Vão vos dizer que vale a pena porque é divertido, que é só para gozar com a coisa, que é bom de tão mau.
Fujam, fechem os olhos, tapem os ouvidos, enquanto podem. Aquilo é coisa do demo, encrava-se-vos na cabeça e quando menos se espera, já estão a cantarolar que querem vida loca, quem é ir para a gandaia.
Façam o que fizerem não vejam o vídeo da Fanny e do famosissimo canuco ou canono ou la o que é.

quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Don't blame the player

E se nesta história toda do Pingo Doce e do multibanco, em vez de nos virarmos contra o mesmo, nos uníssemos contra os bancos, essa corja que cobra taxas a torto e a direito e agrande culpada desta crise?

terça-feira, 21 de agosto de 2012

Enquanto umas mostram as fotos dos seus rebentos, no telefone

Clara Maria não se fica atrás

E os outros?

Se há coisa que me irrita é essa hipocrisia daqueles que fingem não se importar com o que os outros pensam.
Somos animais sociais e, por isso, todos procuramos reconhecimento e estima. Seja no trabalho, nas amizades ou no amor.
Houve um gajo que criou o facebook, esse site no qual meio mundo está viciado, porque era um nerd, com problemas sociais e com muita vontade de impressionar colegas e sacar uma chinesinha do seu agrado. Será que ele queria todo o dinheiro ganhou? Acho que nem imaginava. O gajo pegou nas suas armas, naquilo que era melhor que ninguém e criou o que pode para conseguir chamar a atenção. Casou o mês passado com outra chinesinha.
Nós podemos todos fingir que não nos importa, podemos vir para aqui escrever comentários anónimos e dizer que perde o respeito aquela que se importa. Pócaralhinho, que eu sob a capa do anonimato também me preocupo pouco. Se importa tão pouco, porquê apregoá-lo aos sete ventos?
Obviamente, não estou a fazer dieta por achar que se estiver mais magra, aquele que me partiu o coração vai gostar mais de mim. Sou uma rapariga normal, que gosta de apreço e atenção. Anormal seria não gostar. Na impossibilidade de fazer o pino, não só porque não tenho habilidade, mas também porque seria socialmente incorrecto, faço aquilo que qualquer rapariga faz. Visto A saia ou O vestido, ponho maquilhagem, faço dieta, sou educada, tento fazer rir, tento parecer (e sou) inteligente e culta.
E ainda consigo ser melhor. Admito. Não venho cá com merdas que isto é tudo muito bonito e que me estou a cagar e que podia morrer sozinha, que morria feliz.
A dieta ajuda? Ajuda. Ajuda caber na roupa toda que tenho no armário, ajuda sentir-me confortável, ajuda sentir-me bonita.
O resto são balelas.

segunda-feira, 20 de agosto de 2012

Shiuuuuuu

Adenda ao post anterior: quarto motivo, para a semana regressa uma certa e determinada pessoa das suas férias. A dieta faz parte de todo um projecto chamado : "olha o que perdes".

"A" saia

As próximas duas semanas vão girar só à volta da dieta, por três motivos, primeiro porque as férias foram o descalabro, só massas, pizzas, crepes, sangria, caipirinhas e eu sei lá que mais, segundo, porque estou a fazer a dieta através duma subscrição online que termina dia 28 (é provável que a renove, mas ainda estou a decidir), terceiro, porque dia 31 tenho uma festarola da empresa e estou a pensar seriamente, levar aquela que foi A saia durante muitos anos da minha vida e que nunca me deixou ficar mal (até ter engordado que nem um cachalote), mas para isso preciso de perder um bocadinho desta massa gorda.
Isto significa que estou completamente inflexível. No fim de semana, obriguei toda a gente a ir ao sushi, em vez das tapas espanholas, hoje não fui com a manada ver uma colega que teve um bebé, porque soube que ia haver bolo e chamuças e estou a comer vegetais praticamente de meia em meia hora. Fico com fome, pá. Incrementei a quantidade de legumes à refeição. Agora temos sopa e salada. Só depois a carne e o arroz. Fico cheia que nem um texugo, mas passado meia hora tenho fome. Custa, mas são só duas semanas. Depois já devo ter cenas mais giras sobre as quais escrever.

sexta-feira, 17 de agosto de 2012

Oi?

Colega de trabalho : Eu nao acredito em asma. Asma é apenas um reflexo de falta de confianca e baixa auto-estima.

quinta-feira, 16 de agosto de 2012

Guess who?

Voltei à dieta

Tenho fome. Acho que vou ali comer o resto do jantar, que é como quem diz, o almoço de amanhã. A ceia de hoje, pronto.

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

Texuguinho a banhos

sábado, 11 de agosto de 2012

Por quem sois?

Às vezes dava-me jeito ser um bocadinho mais corajosa e explicar a quem de direito essa coisa de nós gajas gostarmos de sentir que determinado indivíduo do sexo masculino cuida de nós.
É que cuidar de nós não implica o pagamento dum jantar caro. Gostamos, claro que gostamos, mas se nos levarem à caravana dos hamburgueres nojentos, é capaz de fazer o mesmo efeito.
Gostava de poder explicar que essa coisa de cuidar de nós, não obriga a arranjarem-nos uma suite num hotel todo xpto para pernoitar. Chega sabermos que o tal indivíduo nos cederá o seu casaco numa noite fria.
Apetecia-me explicar que fazer tudo by the book não dá direitos e não implica que uma menina se sinta obrigada a fazer vontades. Aliás, aí é que a porta torce o rabo, que nesse livro lido tão atentamente, essa não é uma das regras e as coisas não são taxativas. Nesta coisa do amor ou da atracção ou dos engates, não existem deveres, mas sim liberdades e quem me tira a minha pode ir passear macacos.

quinta-feira, 9 de agosto de 2012

Resumo da minha actual vida amorosa

- a oferta ultrapassa a procura
- não há fome que não dê em fartura
- só duques e cenas tristes

A não esquecer

Primeiro, conquistá-los com a personalidade. Só depois, aparecer-lhes em fato de banho.

quarta-feira, 8 de agosto de 2012

Dúvida que me inquieta

Alguém me explica porque é que os atletas olímpicos trincam as medalhas ganhas?
Será que precisam de confirmar aquilo é ouro do bom e não nenhuma imitação rasca do Martim Moniz?

terça-feira, 7 de agosto de 2012

As férias

Dois dias antes de vir para a Portugal, baixou em mim o virus duma puta de uma constipação. É só uma constipação, nada que vos deixe em cuidados, mas devo dizer que é a maior constipação de que há memoria. Eu sou uma menina que sofre de asma e que é praticamente alérgica a Portugal. Tenho muita pena de dizer isto, mas a verdade é que tudo aquilo a que sou alérgica, são merdas às quais estou exposta em Portugal. Tipo gatos, que vivem alegremente em casa dos meus pais e têm uma verdadeira obcessão pela minha mala de viagem e as roupas lá metidas e convenceram-se que aquele é o melhor sitio para a sua sesta diária de 20 horas.
Um dos meus objectivos nesta viagem era absorver a maior quantidade de vitamina D possivel, através da exposição solar, e rodear-me de velhos e muito bons amigos. E raios os parta, divertidos. Esta junção dá azo a muita parvoíce e muita gargalhada, pouco aconselhada a quem tenha a caixa toraxica e respectivos bronquios hiper sensiveis ( ou seja lá o que lhes acontece quando lhes dá para me dificultar a vida).
Face ao exposto acima, resumidamente, tenho passado estas férias entre assoadelas, tosse de cão que morreu há 3 dias, mas ninguém o avisou, e ataques de asma.
Tirando este (muito) pequeno pormenor, posso dizer que as férias estão a correr de feição, ou não tivesse a dita vitamina D (tão escassa na minha Irlanda) essa capacidade de nos pôr a relativizar tudo e mais alguma coisa.
Portugal continua a ser um país para lá de espectacular, com ou sem crise. As pessoas são mais giras, as noites menos frias e ouve-se de quando em vez, músicas para lá de giras, como o txu e o txa, o levanta o vestidinho e mais um sem um número de pérolas inexistentes, na vida de qualquer emigrante, até Agosto.
Por aqui também se veêm calções de 10 cm, complementados por saltos de 20, em corpos bastante celuliticos, mas bronzeados. O que só por si, é já um deleite para a minha vista.
E agora, com a vossa licença, vou só ali dar uma bombada de ventilan e já cá volto.

quarta-feira, 1 de agosto de 2012

Talvez volte em breve, talvez não

A agora que eu andava a escrever como se não houvesse amanhã, primeiro meteu-se o raio da constipação, depois o trabalho e amanhã, as férias.
A constipação permaneceu enquanto o trabalho acelerava (e o meu cérebro abrandava) e parece que também quer férias e veio para ficar.
A dieta foi pó galheiro - é possível não comer torradinhas com manteiga e com chazinho quando se tem febre? Qual fruta, qual iogurte magro, qual quê? Nem o comprimido desce. E doença que se preze leva logo a lamechisse e lamechisse que se preze leva a nutella à colher.
A mala está por fazer, a roupa por passar a ferro (mãe, levo-te actividade doméstica directamente da Irlanda) e o despertador já está programado para as 6h. Diz que amanhã, lá para o meio-dia já vou levar com solzinho na tola. Ainda diziam os meus colegas que a verdadeira Clara nunca saía da sombra. No sentido, literal, claro. Que quem me lê, já sabe que a minha vida é um circo, cheio de histórias emocionantes, como ir ao ikea a um domingo e fazer bricolage a uma segunda (tirar um casquilho duma lampada que ficou preso é uma elaboradissima tarefa de bricolage). Palhaços, então, não lhe faltam. É ver-me na Irlanda, senhores, e ver-me brilhar ao sol.
E pronto, vou só ali fazer a mala, que apesar do meu apelo no facebook, a dita não se faz sozinha.